Página gerada às 00:49h, domingo 21 de Abril

Deputados timorenses juntam-se a mais um protesto de jovens contra a Austrália

21 de Dezembro de 2013, 13:58

Um grupo de deputados do parlamento de Timor-Leste juntou-se ontem a mais uma manifestação feita por jovens do país em frente à embaixada da Austrália em Díli contra a ocupação "ilegal" do mar de Timor.



"Como representantes do povo achamos que era nosso dever vir também, não só dizer ao governo da Austrália que o condenamos, mas também dizer à nossa população que temos orgulho por ter tomado a iniciativa de defender um direito que é de todos nós e, portanto, estamos com ela, como representantes dela no parlamento também", disse à agência Lusa a deputada do Partido Democrático (PD), Lurdes Bessa.

No local, reuniram-se dezenas de jovens, que mais uma vez gritaram em protesto pelo que consideram ser uma ocupação ilegal do mar de Timor pelas autoridades australianas.

O protesto, em que falaram vários deputados timorenses, foi seguido de perto por alguns elementos da Polícia Nacional de Timor-Leste. Nas declarações à Lusa, a deputada Lurdes Bessa salientou que os colegas deixaram "bastante claro" que aquela ação não é contra o povo da Austrália.

"Não queremos de maneira nenhuma estragar ou danificar as nossas relações com o povo da Austrália, temos ligações familiares, temos muita população timorense na Austrália e muitos australianos aqui. O problema não é esse. É uma questão de tomada de decisão do governo em relação a assuntos que são de interesse nacional e dizem respeito à nossa própria soberania", sublinhou.

A deputada timorense disse também que o parlamento aprovou esta semana uma resolução que condena a atuação do governo australiano e pede para ser revista a colaboração e a cooperação com os serviços de inteligência australianos.

A secreta australiana confiscou ficheiros eletrónicos e documentos, apreendendo também o passaporte a um antigo espião, uma testemunha chave do processo.

Timor-Leste acusou formalmente, junto de um tribunal arbitral de Haia, a Austrália de espionagem quando estava a ser negociado o Tratado sobre Certos Ajustes Marítimos no Mar de Timor, em 2004.

Segundo o ministro do Petróleo timorense, Alfredo Pires, as investigações timorenses identificaram quatro pessoas que terão alegadamente posto o sistema de escutas nos gabinetes do governo timorense.

@Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários