Página gerada às 05:30h, terça-feira 12 de Dezembro

Tribunal de Recurso timorense sorteia alinhamento no boletim de voto para presidenciais

17 de Fevereiro de 2017, 11:56

O presidente do Tribunal de Recurso timorense sorteou hoje a ordem em que os oito candidatos às eleições presidenciais de 20 de março vão aparecer no boletim de voto, numa curta cerimónia que decorreu na sede da instituição.
António Maher Lopes, candidato independente apoiado pelo Partido Socialista de Timor (PST), é o primeiro nome no boletim de voto, seguido do de Francisco Guterres (Lu-Olo), presidente da Fretilin e ex-presidente do Parlamento Nacional (que conta também com o apoio do maior partido timorense, o CNRT).

Em terceiro surge Amorim Vieira - timorense que viveu na Escócia e que chegou a ser militante do Scottish National Party em East Killbridge -, em quarto aparece o ex-comisssário anticorrupção José das Neves e em quinto o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros e atual deputado da Frente Mudança (FM), José Luis Guterres.

Em sexto no boletim de voto está a única mulher que se apresentou como candidata, Ângela Freitas, presidente do Partido Trabalhista (PT), seguindo-se em sétimo Luis Tilman, um praticamente desconhecido.

António da Conceição, ministro da Educação, apoiado pelo Partido Democrático (PD), fecha o boletim de voto.

O sorteio foi realizado pelo presidente do Tribunal de Recurso, Guilhermino da Silva, na presença de representantes das várias candidaturas, do corpo diplomático e da sociedade civil.

O período da campanha para o voto presidencial decorre entre 03 e 17 de março, a votação decorre a 20 de março e o escrutínio provisório dos resultados deverá estar concluído entre 23 e 25 de março.

As eleições presidenciais deverão ter 941 mesas de voto em 693 centros de votação, o que obrigará à contratação de mais de 10 mil funcionários para acompanhamento eleitoral.

Vão ser contratados 693 'brigadistas' - um responsável por cada um dos centros de votação - e 9.410 oficiais eleitorais, dez por cada uma das mesas de voto.

@Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários