Página gerada às 03:50h, terça-feira 12 de Dezembro

Primeiros dias de campanha em Timor-Leste com um incidente - comandante polícia

06 de Março de 2017, 16:59

Os primeiros dias da campanha para as presidenciais em Timor-Leste decorreram praticamente sem problemas registando-se apenas um incidente nos arredores de Díli, em que quatro pessoas foram presas, disse à Lusa o comandante da polícia.

Foto@ António Dasiparu/ Lusa
Júlio Hornay, comandante da Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) explicou à Lusa que o único incidente registado até ao momento ocorreu na sexta-feira quando um pequeno grupo de quatro ou cinco simpatizantes do Partido Democrático (PD) terá apedrejado uma coluna de apoiantes da Fretilin (Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente) que estava a regressar a Díli depois de um comício em Ermera, sul da capital.

"Os militantes da Fretilin estavam a regressar para Díli e ali em Comoro [entrada ocidental da capital] houve um pequeno grupo que atacou os carros e os jovens responderam", explicou.

"Felizmente não houve feridos, ficaram alguns carros e motas danificadas e quatro suspeitos foram presos e vão ser agora apresentadas ao Tribunal de Díli", referiu, explicando que o incidente ocorreu na zona de Rai Kotu, Comoro.

Júlio Hornay explicou que este foi o único incidente registado desde o começo da campanha na sexta-feira e que a situação no resto do país "é de total normalidade".

O presidente da Comissão Nacional de Eleições (CNE), Alcino Baris, explicou que as autoridades eleitorais e policiais "não vão tolerar qualquer ação violenta de indivíduos ou grupos que atuem para causar distúrbios" no processo eleitoral.

"A massa da Fretilin que vinha foi provocada por estes jovens que utilizaram o atributo do PD. O pessoal da Fretilin reagiu a esta provocação que só provocou danos materiais", explicou Baris.

"A PNTL interveio de imediato e a CNE, no dia seguinte, chamou as duas partes, o candidato Lu-Olo (Fretilin) e o candidato António da Conceição (PD) e todos os envolvidos condenaram de imediato o que ocorreu", frisou.

O responsável da CNE explicou que os dois candidatos reiteraram o seu empenho numa campanha livre de violência e "apelaram aos simpatizantes para que não voltem a repetir estes comportamentos que não serão tolerados".

Oito candidatos apresentam-se às eleições do próximo dia 20 de março.

A campanha decorre até 17 de março, dia em que está marcado o único debate eleitoral, a oito, transmitido pela televisão.

@Lusa

Comentários

Critério de publicação de comentários