Página gerada às 19:43h, segunda-feira 24 de Julho

UE: Voto a decorrer com transparência e tranquilidade, sem problemas

20 de Março de 2017, 21:29

As primeiras horas de votação nas eleições presidenciais em Timor-Leste estão a decorrer com transparência, tranquilidade e sem problemas, de acordo com uma primeira avaliação da missão de observação da União Europeia no país.


Foto@ Mast Irham /EPA

"Durante a votação seguiram-se os procedimentos de transparência, as pessoas votaram tranquilamente e em geral todo o processo transcorreu e está a transcorrer bem", afirmou aos jornalistas a eurodeputada basca Izaskun Bilbao Barandica, que lidera os observadores europeus.

"Nos centros urbanos maiores, especialmente em Díli, os membros das mesas demoraram algum tempo a consultar os nomes dos eleitores nos cadernos e há algumas filas", acrescentou.

A eurodeputada falava aos jornalistas na escola básica 9 de Vila Verde, onde deu conta das primeiras impressões recolhidas pelas várias equipas que a UE tem destacadas por Timor-Leste.

"Garantiu-se o sigilo de votação e as pessoas votaram sem qualquer impedimento. A avaliação geral é muito boa da forma como está a decorrer todo o processo", frisou.

No terreno estão 15 equipas compostas por 35 pessoas que estão a acompanhar a votação em 10 dos 13 municípios timorenses. Entre os sete eurodeputados no terreno estão as portuguesas Ana Gomes e Marisa Matias.

Estes observadores, a que se junta ainda uma equipa de sete especialistas eleitorais, fazem parte da missão oficial de observação da UE, liderada por Izaskun Bilbao Barandica.

"Queria felicitar o povo de Timor-Leste pela forma pacífica e tranquila como estão a decorrer as eleições de hoje. A abertura das mesas esteve com todos os materiais, de forma pontual e cumprindo todos os procedimentos", afirmou Bilbao Barandica.

"Foi um procedimento transparente porque tanto observadores como fiscais puderam exercer a sua tarefa sem qualquer impedimento", sublinhou.

A eurodeputada saudou o facto de se terem cumprido os critérios de igualdade de género, "com 50% de homens e 50% de mulheres na composição das mesas de voto".

Mais de 740 mil eleitores registados escolhem hoje o próximo Presidente do país entre oito candidatos.

As urnas encerram às 15:00 locais.

com Lusa

 


Comentários

Critério de publicação de comentários