Página gerada às 14:55h, segunda-feira 19 de Fevereiro

Fretilin saúda comportamento da população durante crise política

12 de Fevereiro de 2018, 23:22

O partido timorense mais votado, a Fretilin, aprovou no domingo um conjunto de resoluções em que saúda o comportamento da população de Timor-Leste na crise política do país, apelando à participação dos eleitores no voto antecipado de 12 de maio.


As resoluções foram aprovadas depois de dois dias de deliberações na 3.ª Conferência Nacional do partido, na vila de Maliana, a sudoeste de Díli, em que participaram centenas de dirigentes e militantes do partido.

A Conferência Nacional ficou marcada por intervenções tanto dos dirigentes máximos do partido, incluindo o secretário-geral e atual primeiro-ministro, Mari Alkatiri, como de Mariano Sabino, presidente do Partido Democrático (PD), parceiro da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) no Governo.

Uma conferência, como explicou à Lusa Mari Alkatiri para reafirmar o que será a linha da campanha do partido para as eleições parlamentares: "um referendo ao programa do VII Governo".

"O impacto na sociedade tem sido grande e a Fretilin está a recuperar apoios. Espero que as pessoas tenham aprendido que a política faz-se respeitando uns aos outros. A democracia não significa ditadura da maioria no parlamento. Se há um Governo têm que deixar um Governo governar primeiro", afirmou.

"O que se pretendeu aqui foi afirmar a ditadura de uma maioria fabricada pós-eleitoralmente. E isso não é democracia", afirmou Alkatiri.

O partido aprovou oito resoluções, entre as quais se destacam saudações pelas negociações de fronteiras marítimas com a Austrália, cuja delegação timorense foi liderada por Xanana Gusmão, que preside ao maior partido da oposição, o Congresso Nacional ´da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT).

A pensar nas eleições de 12 de maio, o partido deixa um apelo aos eleitores para que vão votar "para reafirmar a liberdade e a democracia" usando este "mecanismo de legitimação real do eleitorado" num "momento singular de expressão política, sobretudo neste momento de impasse político”.

Numa das resoluções, a Fretilin destaca a "forma exemplar" como a população timorense se comportou "perante a crise política institucional, primando e contribuindo para que a democracia seja um processo em constante crescimento e aprofundamento.

Um comportamento ao longo dos últimos meses em que a população "tem dado mostras inegáveis de que todos juntos somos e seremos capazes de contribuir de forma construtiva para o aprofundamento da Democracia em Timor-Leste", refere a resolução, considerando que os timorenses saberão "continuar a dar mostras de um crescimento democrático e demonstrar de forma inequívoca o seu comportamento político exemplar".

Os participantes na 3.ª Conferência nacional reiteraram "legitimidade à liderança do partido e à CPN [Comissão Política Nacional] para tomar decisões estratégicas".

O texto considera que os líderes do partido têm “demonstrado sentido de responsabilidade, firmeza nos princípios, espírito de abnegação e capacidade de liderança".

Noutras das resoluções, a Fretilin louva a "decisão do Presidente da República Democrática de Timor-Leste na solução do impasse político", numa referência ao facto de Francisco Guterres Lu-Olo ter decidido dissolver o parlamento e convocar eleições antecipadas, saudando os partidos políticos pelo "total respeito" por essa deliberação.

Lusa

 


Comentários

Critério de publicação de comentários