Página gerada às 12:32h, sabado 22 de Setembro

Mari Alkatiri garante que Fretilin vai ser “oposição a sério” no Parlamento

19 de Junho de 2018, 19:54

O secretário-geral da Fretilin, segunda força no Parlamento timorense, garantiu hoje que o partido vai ser uma "oposição a sério", verificando com todo o detalhe toda a ação do Governo, que pode tomar posse esta semana.


"A Fretilin vai ser uma oposição a sério. Vai ser tudo passado a pente fino. Vai atuar com sentido de responsabilidade", disse Mari Alkatiri, em declarações aos jornalistas no Palácio Presidencial em Díli.

Alkatiri falava aos jornalistas depois de uma delegação da Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin) se reunir com o Presidente timorense, Francisco Guterres Lu-Olo, que está novamente a ouvir os partidos com assento parlamentar, tendo em vista a formação do próximo Governo.

Questionado sobre a indigitação de Taur Matan Ruak para chefiar o próximo Governo, Alkatiri disse que a oposição vai trabalhar com quem a Aliança de Mudança para o Progresso (AMP), que venceu as eleições, escolha.

"Quem ganha as eleições decide quem vai ser primeiro-ministro. Naturalmente, como oposição vamos ter que nos relacionar com o indigitado e empossado pelo Presidente da República", disse.

Alkatiri recusou-se ainda a fazer previsões sobre o futuro da coligação do Governo, e insistiu que a oposição está forte.

"Não sou profeta e não quero fazer profecias. Desejo-lhes as maiores venturas. A oposição está forte, só tem que fazer oposição. Quem governa é que deve saber o que é que tem que fazer para a governação ter resultados", afirmou.

O responsável comentou também, pela primeira vez, declarações à Lusa do ex-Presidente José Ramos-Horta, que na semana passada defendeu que Mari Alkatiri deve iniciar um processo de "renovação da liderança" do partido, que deve ocorrer "muito rapidamente" para bem da Fretilin e da nação.

"A idade não perdoa e esses anos desgastam-nos pessoal e politicamente", disse Ramos-Horta em entrevista à Lusa.

"É altura, sobretudo depois de o Presidente Lu-Olo ter sido eleito, é urgente que Mari Alkatiri lidere um processo de transição que tem de acontecer muito rapidamente. É altura de pensar na renovação da liderança", sublinhou.

Instado a comentar essas declarações, Alkatiri afirmou que a transição no partido tem estado em curso.

"A transição na Fretilin tem-se feito estes anos todos. Quem não está dentro da instituição e não conhece a vida institucional faz sugestões às vezes fora do contexto. A transição tem sido feita e vai continuar a ser feita. Não precisamos de sugestões de fora", afirmou.

Lusa

 


Comentários

Critério de publicação de comentários