Página gerada às 05:38h, terça-feira 12 de Dezembro

Mercado de trabalho da língua portuguesa está a aumentar na Ásia

28 de Setembro de 2018, 23:46

Professores de português na Ásia afirmaram hoje que a procura da língua portuguesa está a aumentar devido às oportunidades crescentes no mercado de trabalho local.


"Muitos alunos escolheram o português porque agora têm um mercado de trabalho com grande procura pelas pessoas que falam português e chinês", disse hoje à Lusa a professora de português da Universidade de Pequim Li Jie, à margem da quarta edição do Encontro de Rede de Ensino de Língua Portuguesa.

A professora da Universidade de Pequim argumentou ainda que "há cada vez mais intercâmbios comerciais e culturais entre a China e os países lusófonos".

Também a professora do Departamento de português na Universidade de Hanói seguiu a mesma tónica: "há cada vez mais emprego através do português, porque há cada vez mais empresas das Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que querem investir no Vietname e também há cada vez mais turistas que querem visitar o Vietname", defendeu Tran Thi Hai Yen.

A quarta edição do Encontro de Rede de Ensino de Língua Portuguesa reúne, em Macau, entre hoje e sábado, no Instituto do Português do Oriente (IPOR), cerca de 40 docentes provenientes de instituições de ensino superior da China (Pequim, Xangai, Cantão, Jilin e Sichuan), da Tailândia (Banguecoque), do Vietname (Hanói), da Austrália (Sydney), de Timor-Leste e também de Portugal.

A coordenadora do Centro de Língua Portuguesa do IPOR, Clara Oliveira, afirmou à Lusa que tem existido um crescimento notório na aprendizagem do português como língua estrangeira e que este encontro serve como "um momento de reflexão entre todos os professores de língua estrangeiras" destas regiões do globo.

"Na República Popular da China, em termos de instituições de ensino superior, nos últimos cinco anos passaram de 10 para 32", explicou Clara Oliveira.

Para a professora da Universidade de Pequim, estes encontros entre os docentes são fundamentais pois são uma oportunidade de trocar "ideias e opiniões sobre o ensino e aprendizagem do português para os aprendentes asiáticos".

"Este encontro é muito importante para nós e para mim é uma muito boa inspiração (...) tenho aprendido muito com as experiências dos restantes colegas", acrescentou Tran Thi Hai Yen.

O encontro decorre sob a forma de oficinas, de maneira a acentuar uma vertente prática e aplicada, através da promoção de espaços de partilha de experiências e de reflexões em torno de abordagens ao ensino de português como língua estrangeira.

Fundado em 19 de setembro de 1989 pela Fundação Oriente e pelo Camões - Instituto da Cooperação e da Língua, o IPOR tem como missão contribuir para a promoção da língua e cultura portuguesas.

Lusa

 


Comentários

Critério de publicação de comentários