Página gerada às 22:38h, domingo 17 de Novembro

Governo timorense pede 'agrément' para 14 novos embaixadores

05 de Novembro de 2019, 22:41

O Governo timorense já apresentou a vários países, incluindo Portugal, os pedidos de 'agrément' para 14 novos embaixadores para postos diplomáticos que estão vagos, alguns há mais de um ano, confirmou o ministro da tutela.


“Já foi pedido o 'agrément' para quase todos. Os últimos três pedidos saem hoje”, disse Dionísio Babo em declarações à Lusa.

Babo mostrou-se esperançado que os 'agrément' dos vários países possam chegar nas próximas semanas, permitindo a tomada de posse dos diplomatas ainda este ano.

“Estamos a tentar que ocorra ainda este ano, mas se isso não for possível será no inicio de 2020”, explicou.

No caso de Portugal foi enviado o pedido de 'agrément' para a diplomata proposta, Isabel Amaral Guterres, ex-ministra da Solidariedade Social e Timor-Leste.

Recorde-se que Dionísio Babo, apresentou ao chefe de Estado, Francisco Guterres Lu-Olo, uma lista com os 14 nomes propostos, no passado dia 22 de outubro.

Em causa estão os nomes aprovados em Conselho de Ministros para liderar as missões diplomáticas timorenses na Austrália, Cabo Verde, Camboja, China, Irlanda do Norte, Japão, Laos, Moçambique, Portugal, Reino Unido, Secretariado CPLP, Singapura, Suíça, Tailândia e Vaticano.

Depois de aprovar os nomes a Presidência remeteu a lista para o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dionísio Babo, a quem cabe solicitar os agréments dos países onde os diplomatas vão ficar destacados.

Quando esse 'agrémen't for concedido, os diplomatas tomarão posse em Díli antes de assumirem funções.

A nomeação dos diplomatas tem sido adiada sucessivamente ao longo do último ano, com uma lista apresentada pelo anterior Governo e uma segunda pelo atual, nenhuma das quais acabou por ser implementada.

Fonte diplomática disse à Lusa que no caso de Portugal chegou a ser dado um 'agrément' à proposta de embaixador para Lisboa apresentada pelo Governo anterior, Armindo Maia, ex-ministro da Educação e um nome diferente do proposto pelo atual Governo.

No início deste ano o novo executivo enviou uma lista com 16 nomes para embaixadas em todo o mundo, dos quais apenas tomaram posse três.

Dionísio Babo explicou que depois de extensas consultas preparou uma lista com 16 nomes que submeteu ao Governo e que foi discutida e aprovada em Conselho de Ministros, tendo sido remetida pelo primeiro-ministro, Taur Matan Ruak, ao chefe de Estado.

Desse grupo apenas foram recebidos os 'agrément' necessários no caso dos três embaixadores que tomaram posse – no Brasil, Estados Unidos e Nova Zelândia – , tendo os diplomas destacados nesses países assumido já funções.

Lusa

 


Comentários

Critério de publicação de comentários