Página gerada às 16:45h, quarta-feira 01 de Abril

Covid-19: Universidade pública timorense arranca ensino à distância

20 de Março de 2020, 21:37

A Universidade Nacional Timor Lorosa’e (UNTL) suspendeu entre 24 de março e 14 de abril todas as aulas presenciais, como medida preventiva da Covid-19, disse hoje à Lusa o reitor.


“Trata-se de uma medida preventiva que faz parte do nosso plano de resposta à pandemia da Covid-19. Trocámos as aulas presenciais pelo ensino à distância”, afirmou o reitor da UNTL, Miguel Martins.

O responsável da instituição, com mais de 20 mil alunos, acrescentou que, faseadamente e até 14 de abril, todas as faculdades vão transitar para o regime de ensino à distância.

Vão ser igualmente estabelecidos, com o apoio dos docentes, alunos e médicos centros de observação do novo coronavírus nos quatro 'campus' da UNTL em Díli e na vila de Hera, que vão permitir encaminhar eventuais casos suspeitos para centros médicos.

As decisões têm vindo a ser debatidas na última semana e foram aprovadas pelo Conselho de Gestão na quinta-feira, indicou Miguel Martins.

O despacho prevê que o plano de contingência seja dado a conhecer entre hoje e sexta-feira a todas as faculdades, bem como aos serviços administrativos.

O documento pretende ainda fornecer “informação regular sobre a Covid-19 junto da comunidade académica, através das plataformas de media e redes sociais da UNTL" e autoriza ainda os professores a optar por meios eletrónicos de interação com os alunos, como a gravação de vídeos e a criação de salas de aula virtuais em plataformas e aplicações.

Timor-Leste não regista casos confirmados da Covid-19.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, infetou mais de 235 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 9.800 morreram. Das pessoas infetadas, mais de 86.600 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se já por 179 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Lusa

 


Comentários

Critério de publicação de comentários