Página gerada às 04:26h, terça-feira 20 de Março

30 jovens concluíram formação em rádio e televisão, ministrada pela RTP (C/VÍDEO)

11 de Novembro de 2010, 22:47

*** Serviço áudio e vídeo disponível em www.lusa.pt ***

Díli, 11 nov (Lusa) -- Três dezenas de jovens timorenses concluíram hoje a formação em rádio e televisão, ministrada por formadores da RTP, ao abrigo de um protocolo com a Rádio Televisão de Timor-Leste (RTTL).

Na cerimónia de entrega dos diplomas, Luís Marinho, administrador da RTP, salientou que a televisão pública portuguesa trouxe a Timor-Leste "os melhores dos seus melhores" para formar os jovens timorenses que irão trabalhar na televisão e na rádio do país.

"O nosso apoio não acaba com a entrega dos diplomas. É apenas o princípio de uma relação mais estreita e estamos dispostos a ajudar no que for preciso", disse, garantindo a disponibilidade da RTP para dar continuidade à cooperação com a congénere timorense.

A ação de formação foi financiada pelo IPAD em 253 mil euros, no âmbito da segunda fase da cooperação portuguesa no domínio da comunicação social, tendo a RTP colocado em Timor-Leste, durante cerca de um mês, nove formadores, três jornalistas de televisão e dois de rádio, um repórter de imagem, um técnico de grafismo pós-produção de vídeo e outro de multimédia, e ainda uma especialista em gestão.

Dos 28 formandos que frequentaram as diferentes áreas de formação, 14 deles são estudantes pelo que não possuíam qualquer experiência de rádio e televisão, mas os trabalhos que realizaram e hoje foram exibidos surpreenderam.

"O que aqui vimos não teria sido possível sem o talento e experiência de nove formadores, nove portugueses num novo mundo, que demonstraram estar à altura das dificuldades que aqui enfrentamos, todos os dias, para pôr no ar reportagens fiéis ao que se passa no nosso território", comentou o presidente da RTTL, Expedito Dias Ximenes.

Expedito Ximenes aproveitou para anunciar publicamente a criação de uma secção autónoma de português, preparada para produzir conteúdos na que é também a língua oficial de Timor-Leste (a outra é o tétum), dando continuidade aos ensinamentos ministrados.

A adida portuguesa para a Cooperação, Gé Lambiza, garantiu que "o apoio do IPAD veio para ficar".

"Contamos iniciar no mês de janeiro um novo projeto de continuidade para os próximos três anos, integrado no novo Programa Indicativo de Cooperação", afirmou.

Entre os objetivos do futuro projeto inclui-se uma forte aposta no apoio ao desenvolvimento de um serviço público de rádio e televisão de qualidade, a promoção da língua portuguesa no âmbito de informação e programação da RTTL, e o apoio ao seu processo de transformação em empresa pública, explicou aquela responsável.

MSO

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários