Página gerada às 09:59h, quarta-feira 24 de Outubro

"Luso talentos" espalhados pelo mundo em Macau até domingo

28 de Novembro de 2013, 21:14

Macau, China, 28 nov (Lusa) - Macau é palco, entre hoje e domingo, da iniciativa "Luso talentos", um projeto promovido pelo Observatório dos Lusodescendentes, com uma série de eventos e demonstrações artísticas e espaço para uma "fusão" cultural num território símbolo disso mesmo.

O programa inclui "dez grandes momentos" ao longo de quatro dias, "onde teremos os resultados dos projetos do ano passado [no Porto], assim como outros que se juntaram e que contam com participantes de cá para também haver um 'mix', uma fusão entre a cultura portuguesa e a cultura chinesa", disse à agência Lusa a presidente do Observatório dos Lusodescendentes, Emmanuelle Afonso.

Da Europa, aos Estados Unidos, ao Brasil, um total de 22 "Luso talentos", de dez áreas artísticas, encontram-se no território para apresentar projetos, nomeadamente depois do "brainstorming" realizado há um ano, explicou Emmanuelle Afonso, apontando que, além dos espetáculos, a intenção é "deixar marcas".

Uma das "marcas" começou a nascer, esta tarde, com a pintura ao vivo de uma tela intitulada "Do Mundo para Macau", uma obra que representará a "junção de duas culturas", pelas mãos do português Carlos Farinha e do artista local Fortes Pakeong Sequeira, a ser inaugurada e oferecida pelo encerramento do evento.

Outra prende-se com uma iniciativa inserida na estratégia de promoção da língua e cultura da secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, a qual prevê a oferta de 15 minibibliotecas do Plano Nacional de Leitura às escolas luso-chinesas pelo secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, que patrocina os "Luso talentos".

"Os Portugueses Esquecidos do Oriente", uma exposição fotográfica de Joaquim Magalhães de Castro, foi também inaugurada, ao fim da tarde, na residência consular de Portugal, antecedendo a exibição na Torre de "A Gaiola Dourada", com a presença do realizador Ruben Alves e da atriz Jacqueline Corado da Silva, numa tripla estreia em Macau, na China e na Ásia.

Após a sessão, segue-se o debate "Imagens da (e) migração vs (e) migração em imagens", com a presença de Ivo Ferreira e Tomé Quadros, realizadores portugueses residentes em Macau, atividade que encerra o primeiro dia dos "Luso talentos".

DM // VM

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários