Página gerada às 03:16h, terça-feira 12 de Dezembro

Timor-Leste dá dois milhões para Libéria, Serra Leoa e Guiné-Conacri

08 de Outubro de 2014, 17:31

Díli, 08 out (Lusa) - O Governo de Timor-Leste anunciou hoje um apoio financeiro de dois milhões de dólares (1,58 milhões de euros) para ajudar a Libéria, Serra Leoa e Guiné Conacri no combate ao vírus do Ébola.

"Esta medida do Governo de Timor-Leste é tomada tendo em conta as necessidades humanitárias, nomeadamente em termos de alimentos, água potável e saneamento, que advêm da epidemia, especialmente porque muitas das zonas infetadas são zonas de extrema pobreza, onde os hospitais têm falta de meios para controlar a propagação da doença", refere em comunicado o executivo timorense.

O primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, tinha anunciado no final de setembro um apoio de um milhão de dólares (790 mil euros) para auxiliar o combate ao vírus.

No comunicado, relativo à reunião extraordinária de Conselho de Ministros realizada no passado dia 02, o Governo timorense refere que a ajuda é dada no âmbito da organização G7+.

"As organizações de saúde destes países, quer públicas, quer privadas, precisam de todo o apoio por parte dos parceiros de desenvolvimento para fazer face a esta ameaça mundial", afirma o Governo timorense, salientando que são precisos materiais para campanhas de prevenção em escolas e serviços públicos, 'kits' de medicamentos e formação sobre procedimentos de controlo de infeções.

O surto de Ébola já matou 3.439 pessoas em 7.492 casos conhecidos da doença em países da África Ocidental, sobretudo na Guiné-Conacri, Libéria e Serra Leoa.

O G7+ é uma organização voluntária de 20 países que são ou foram afetados por conflitos e que agora estão em fase de transição para um estágio de desenvolvimento.

O principal objetivo daquela organização é partilhar experiências para defender reformas na forma como a comunidade internacional se envolve nos estados afetados por conflitos.

São Estados-membros do G7+ Timor-Leste, Guiné-Bissau, Afeganistão, Burundi, República Centro Africana, Chade, Comoro, Costa do Marfim, República Democrática do Congo, Guiné-Conacri, Haiti, Libéria, Papua Nova Guiné, São Tomé e Príncipe, Serra Leoa, ilhas Salomão, Somália, Sudão do Sul, Togo e Iémen.

MSE // JPS

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários