Página gerada às 08:09h, domingo 19 de Novembro

Partidos timorenses despedem-se com homenagem a ex-presidente do Parlamento Nacional

05 de Junho de 2015, 15:26

Díli, 05 jun (Lusa) - Os quatro partidos timorenses com assento parlamentar despediram-se hoje com mensagens emocionadas de homenagem e reconhecimento de Fernando Lasama de Araújo, ministro e ex-presidente do Parlamento Nacional, que morreu na terça-feira.

As homenagens foram feitas em intervenções numa sessão solene do Parlamento Nacional (PN) em que participaram as principais figuras de Estado e em que Lasama de Araújo foi condecorado a título póstumo.

Lurdes Bessa, secretária-geral do Partido Democrático (PD) - partido a que Lasama de Araújo presidia - recordou o "companheiro" e "líder transformador", que sempre soube "inspirar" a sua família política e o resto dos timorenses pelo bem da nação.

Recordando a vida do filho de um agricultor e a "revolta" que sentiu perante os abusos, a injustiça e a tortura dos ocupantes indonésios, Bessa relembrou o papel de Lasama na liderança dos jovens estudantes, sob o mote "antes sem título do que sem pátria".

Destacou ainda o facto de Lasama, "um líder simples, humilde, paciente e calmo mas também firme e transformador" que no passado contribuiu para inspirar o próprio movimento pró-democrático na Indonésia e, já depois da independência sempre trabalhou em prol do desenvolvimento do país.

"Uma figura que inspira uma geração a lutar pela libertação do povo. É um modelo para as próximas gerações, de determinação, de dignidade, um modelo de liderança", afirmou, recordando que "morreu em serviço do povo".

"Adeus companheiro. Adeus para sempre", disse, tentando conter as lágrimas.

Aniceto Guterres Lopes (FRETILIN) recordou o contributo de Lasama e dos jovens que este liderou, durante a ocupação indonésia, nomeadamente através da organização estudantil RENETIL, marcada pela sua política de "inclusão nacional", com jovens de todos os partidos.

Referindo que sempre trabalhou com "dedicação e abnegação durante a sua luta de independência, independentemente das cores políticas", o deputado da segunda maior força política timorense, considerou que Lasama de Araújo representa uma geração de "grande patriotismo e nacionalismo".

Deixa, sublinhou, um testamento político para quem queira trabalhar em defesa da nação.

Dionísio Babo, secretário-geral do CNRT (e companheiro de Lasama no V e VI Governo), manifestou as profundas condolências de todo o seu partido, considerou que desapareceu uma "figura importante e impar, de convicções e de valores".

"Sempre trabalhou no processo de construção do Estado. Independente dos desafios, das divergências políticas, mostrou sempre a sua capacidade, expressando o objetivo comum de libertação", afirmou.

"Mostrou sempre o interesse nacional acima da ideologia política, mostrando disponibilidade para a colaboração total. Carater determinado, humilde, de estadista, sempre colocando o interesse nacional acima do pessoal", afirmou,

"Lasama é um exemplo de inspiração para o esforço necessário ao desenvolvimento. Uma ação profissional, com valores, apostando na revalorização política, especialmente em momentos ainda frágeis", disse.

Egídio de Jesus, vice-presidente da Frente Mudança destacou que este é um momento de "infortúnio nacional" em que os timorenses vivem o "choque" do desaparecimento de um herói nacional.

"É um momento de grande tristeza, de luto nacional", declarou, recordando o papel de Lasama durante a ocupação indonésia.

"Foi um servidor do povo maubere. Que trabalho para a libertação do país e estava a trabalhar para a libertação do povo. Adeus para sempre e um aboa viagem perpetua", afirmou.

O funeral de Lasama de Araújo decorre hoje no Jardim dos Heróis Nacionais em Metinaro, leste de Díli.

ASP // JPS

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários