Página gerada às 18:16h, quarta-feira 01 de Abril

Governo de Macau pede aos residentes para evitarem deslocações ao exterior

28 de Fevereiro de 2020, 19:58

Macau, China, 28 fev 2020 (Lusa) -- O "aumento brusco" de pessoas a passarem pelas fronteiras de Macau na quinta-feira, levou hoje as autoridades a pedir aos residentes que evitem sair e entrar no território.

"Desde 20 de fevereiro que tínhamos cerca de 21 mil residentes a entrar e sair das fronteiras do território e na quinta-feira registámos cerca 35 mil, o que representa uma subida de 66%", indicou o diretor dos Serviços de Saúde de Macau, com base em dados do Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP).

Lei Chin Ion afirmou que, apesar da melhoria em relação à epidemia do coronavírus Covid-19 em Macau, em outras regiões a situação continua a ser grave, como China, Japão e Coreia do Sul, entre outros.

"Os residentes devem evitar atravessar as fronteiras para diminuir a possibilidade de contágio", sublinhou, na conferência de imprensa diária do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo do Coronavírus.

O responsável advertiu que se ocorrer algum caso de contágio entre a população de Macau devido a deslocações através das fronteiras, sobretudo para Zhuhai, cidade adjacente ao território, o Governo poderá impor exames médicos nos postos fronteiriços também para os residentes.

Todos os visitantes oriundos de áreas de alta incidência podem ser submetidos a exames médicos, a qualquer momento, em todos os postos fronteiriços de Macau. Os exames têm uma duração de seis a oito horas e, pelo menos uma vez a cada duas horas, é feita uma avaliação através da medição da temperatura corporal, consulta médica e exame físico.

"No fim de semana e se não for necessário não se desloquem ao interior da China", aconselhou Lei Chin Ion, que reiterou a necessidade de seguir as medidas de prevenção em vigor, como o uso de máscaras, lavagem das mãos, evitar grandes concentrações e reuniões familiares, salientou.

De acordo com o CPSP, cerca de 17 mil residentes entraram no território e 18 mil saíram na quinta-feira, num aumento de 5,9% e de 5,8%, em relação ao dia anterior.

O Corpo de Polícia de Segurança Pública (CPSP) acrescentou que cerca de 5.900 visitantes entraram em Macau, mais 3,3%, enquanto perto de 5.100 saíram, menos 2,6%.

Há 24 dias sem novos casos, Macau registou dez infeções com Covid-19, sendo que apenas dois doentes continuam ainda internados, de acordo com dados do Centro Hospitalar Conde de São Januário.

O Covid-19, detetado em dezembro na China e que pode causar infeções respiratórias como pneumonia, provocou pelo menos 2.858 mortos e infetou mais de 83 mil pessoas, de acordo com dados de meia centena de países e territórios.

Além de 2.788 mortos na China continental, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão.

EJ (MIM) // VM

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários