Página gerada às 18:04h, quarta-feira 01 de Abril

China critica Mike Pompeo por referências ao "vírus de Wuhan"

26 de Março de 2020, 20:46

Pequim, 26 mar 2020 (Lusa) - A China voltou hoje a criticar o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, por se referir ao Covid-19 como "vírus de Wuhan", a cidade chinesa de onde é originário o novo coronavírus, que provocou uma pandemia mundial.

O porta-voz do ministério chinês dos Negócios Estrangeiros Geng Shuang considerou que a referência ao "vírus de Wuhan" representa um esforço para "estigmatizar a China e desacreditar os esforços" dos país, numa "tentativa de desviar a atenção e fugir às responsabilidades".

"[Mike Pompeo] tem um motivo muito sinistro", disse Geng aos jornalistas, em conferência de imprensa.

O porta-voz defendeu ainda os esforços da China para combater o vírus e negou que Pequim estivesse a tentar fugir às responsabilidades pela origem do surto.

A China foi acusada de ocultar informações sobre o surto durante o seu estágio inicial, e vários diplomatas chineses sugeriram abertamente que o vírus pode ter tido origem nos Estados Unidos, apesar de não apontarem evidências científicas.

Pompeo insistiu que o vírus seja identificado como "vírus de Wuhan" durante uma reunião com os ministros dos Negócios Estrangeiros dos países que compõem o G7.

A Organização Mundial da Saúde alertou para que não se designe o vírus pelo seu local de origem e até o Presidente norte-americano, Donald Trump, deixou de se referir ao novo coronavírus como "vírus chinês", face a comportamentos discriminatórios contra asiáticos e norte-americanos de origem asiática.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou perto de 428 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 19.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

JPI // FPA

Lusa/Fim


Comentários

Critério de publicação de comentários